Surf

A Domínio Corporal atua na praia da Ponta dos Fechos em Manguinhos durante todo o ano, porém de dezembro a fevereiro atuamos de terça a domingo, para garantir sua aula sempre é melhor agendar previamente. Atuamos em todos os níveis, desde a iniciação até o nível competitivo de alto rendimento. Para isso temos os seguintes serviços:

Escola de Surf
  • Aula Avulsa
  • Pacote 4 aulas
  • Pacote 10 aulas
Surf Resistência
  • Personal Avulsa
  • Personal 8 aulas
  • Treinos no Studio
Guarda Surf
  • Guarda Surf 5 horas
  • Guarda Surf 15 horas
As aulas de 1h e são divididas em três momentos. No primeiro momento os alunos fazem um aquecimento entre 10 a 15 minutos, onde, com as crianças utilizamos atividades ludicas e com os adultos utilizamos o método Surf Resistência, o qual foi desenvolvido pela Dominio Corporal. Neste momento, também orientamos os alunos sobre as normas de segurança e como utilizar a prancha. No segundo todos vão para a água realizar a prática do surf. O terceiro momento é a volta a calma, onde utilizamos exercícios de alongamento.

Materiais

Os materiais utilizados nas aulas de surf são os mais modernos do mundo para iniciantes. As pranchas são em parte dos modelos Soft Board, pranchas de espuma com quilhas flexíveis, que proporcionam mais segurança para a pessoa que não tem ainda intimidade com a prancha evitando acidentes.

São oferecidos ainda estrepes, outros modelos de pranchas de fibra, água, sombra, fotos digitais e filmagens. Os materiais devem ser utilizados apenas por pessoas que estejam matriculados na Escola de Surf Domínio Corporal.

Avaliação

A avaliação serve para saber se o aluno esta evoluindo ou não no surf e na sua qualidade de vida. Esta avaliação é feita através de imagens filmadas durante as aulas e fotos. Através destes recursos podemos analisar com exatidão os erros dos alunos e assim fazer a correção com mais segurança. Através da avaliação graduamos os alunos conformes os níveis criados pela própia escola.

Níveis

Com um tempo de trabalho, a Escola de Surf Domínio Corporal percebeu que alguns alunos ficavam desmotivados a aprender coisas novas, se contentando em apenas descer reto na onda. Sendo assim, desenvolvemos um sistema de nivelamento com as respectivas funções que o aluno deve executar para estar em cada nível. Os níveis sao divididos em: Iniciante I, Iniciante II, Iniciante III, Intermediário I, Intermediário II, Intermediário III, Avançado I, Avançado II e Avançado III.
O método de Treinamento Surf Resistência foi a primeira metodologia desenvolvida pela Domínio Corporal. Por Surf ser muito mais que um esporte e sim uma maneira de viver, exige respeito à natureza e aos limites de seu corpo e mente.

Após 15 anos de estudos, comprovamos sua eficiência em eventos científicos no Brasil, Costa Rica e na Espanha, temos um treinamento integral que se ajusta a todas as idades e níveis de Surf, trabalhando a individualidade de cada praticante.

O Surf Resistência é um método de treinamento que envolve Yoga, Five Komzept,Treinamento Funcional , Pilates, Biomecânica, Fisiologia, Psicologia, Fisioterapia e Nutrição, e tem como objetivo o fortalecimento muscular, aumento de flexibilidade, condicionamento cardio-respiratório e aumento da auto-estima, para assim prevenir das lesões e aumentar a performance e melhorar a forma física.

Um ponto forte é o trabalho de mobilidade articular, que além de melhorar a performance esportiva reduz em até 100% das dores na coluna e articulações.

O método é indicado para surfistas de qualquer nível ou pessoas que apenas queiram melhorar sua forma física. O sistema funciona em três níveis: Solo, aula em sala com piso liso com movimentações ao ritmo da música; Praia, aula com elementos de água e exercícios de Solo com sobrecarga na areia; e Prática do Surf, onde são feitos correções técnicas dos movimentos por meio de vídeo correção.
Com o mesmo enfoque da Escola de Surf, entretanto formada por grupos fechados em parcerias com Escolas de ensino regular com oferta de transporte para o deslocamento dos participantes.
Os primeiros relatos do surf dizem que o esporte foi introduzido no Havaí pelo rei polinésio Tahito. Mas em 1778, quando o navegador James Cook descobriu o arquipélago, ele afirmou que já existiam surfistas na ilha. Até o início do século 20 o surf permaneceu em baixa até conhecer seu pai, Duke Paoa Kahanamoku, que manteve o esporte vivo graças a sua persistência.

A primeira vez que o mundo ouviu falar do Havaí e do surf foi depois das Olimpíadas de 1912, em Estocolmo, quando Duke ganhou uma medalha de ouro na natação. Duke fez o mundo saber que ele era um surfista e que o surf era o ato de cavalgar as ondas do mar. Após sua vitória, Duke introduziu o surf na América em 1913 e na Austrália em 1915.

No Brasil, as primeiras pranchas foram trazidas por turistas. A primeira prancha brasileira foi feita em 1938 pelos paulistas Osmar Gonçalves, João Roberto e Júlio Putz, a partir da matéria de uma revista americana, que dava medidas e o tipo de madeira a ser usada.

Em 1950, os cariocas Jorge Grande, Bizão e Paulo Preguiça construíram uma prancha que não tinha flutuação nem envergadura. Em 1962, no Rio de Janeiro o Sr. Moacir criou uma técnica para dar envergadura aos pranchões, em São Paulo, Homero Naldinho, com 14 anos, fazia suas madeirites.

Atualmente a Associação dos Surfistas Profissionais (ASP) é quem regulamenta e traça as diretrizes do esporte. Os maiores surfistas do mundo disputam anualmente o WCT (World Championship Tour) que consagra o campeão mundial.